18 de out de 2009

Industria Fonográfica





O mercado fonográfico é o que faz você gostar do que esta ouvindo, pois eles detem o poder de manipular a massa com a mídia tanto televisiva quanto a radialista... Hoje conseguimos entender bem quando vemos uma banda ou um “artista” solo, saber o que foi “pré-fabricado” do que tem raiz...

Nos  anos 90 o mercado fonográfico, sentindo a queda que viria adiante, começou a fabricar “projetos vendáveis" e investiram tudo  o que podiam  (musicas encomendadas, modo de se postar, perfis  de beleza, fã clubes entre outras coisas) e criaram a área de projetos especiais só para esta finalidade. Tentativas de publicidade em capas de discos ou Cd’s  era a esperança de  conseguir patrocinadores para uma situação estrangulante. Os contratos eram cada vez mais leoninos (Contrato que só vê o melhor para quem o faz), onde a gravadora prendia seu investimento para garantir qualquer oscilação do produto.

Os “artistas” já consagrados hoje optam por uma produção independente, usando as grandes multinacionais somente para a distribuição, e aproveitando  sempre  do advento  da internet, que veio  para facilitar os pedidos dos ouvintes nas rádios, e não o que lhe é imposto pela massificação.
No final da década de 80, a EMI encomendou um grupo chamado Wanna, do qual eu fazia parte, puro mercado. 

Vejo e sinto que o mercado ficará  cada vez mais aberto para novos produtos com a democratização das mídias, com a entrada de web rádios, e softwares para você produzir seu próprio trabalho em casa ( home  studio) entre outras ferramentas. O músico agora pode produzir  seu próprio trabalho e negociar da maneira que lhe agradar mais.













The phonograph market is the one who makes us to like what we use to listen to,  cause they have the power of to manipulate the people with the hole midia sistem, such as televisions or radios... Nowadays, we can understand this process very well, whem we see a 'single artist' or a band, we just can feel, what is 'prefabricated' from what has a root...

In the 90's, the phonographic market, feeling a great down that was about to come, began to produce 'salable products' investing all they could do (commissioned musics, specials ways of maners, beauty profiles, fanclubs besides some others things), and they criated a sector to some special products just for this reason. Publicities in Record cover or Cd’s was the first hope to get some sponsors and stop this strangling situation. The contracts was getting each time more and more 'one side' (Which is good just for the Record Label), which decides to get theirs investments to garantee any oscilation of the product.

Nowadays, the famous 'artists' get the option to produce theirself independently, using the big multinacionals brands just to distribute, working togethere with the internet, that comes to help the fans from the radios to get their wishes, and not to have just what the industry had  proposed to them.
In the end of the 80's, the EMI commissioned a group called Wanna, in which I was there, pure market.

I feel and I see that, the market will became more and more opened to new products with the democratization of the mídias, and with the opened of some web rádios, and  softwares for the musitian produce themselfs at home (home  studio), besides others tools. Now, the musitian can produce theirs own job and also negotiate, in the way they like must.